22 de novembro de 2010

Substantivos: comuns e próprios

Os substantivos comuns são nomes gerais que se dão a seres de uma mesma espécie e os substantivos próprios são nomes particulares dados a seres específicos. Morfologicamente, em língua portuguesa o substantivo próprio se inicia particularmente com letra maiúscula e o substantantivo comum - por ser comum  - e por se referir a uma gama de seres ou coisas não se inicia com letra maiúscula. Ademais, há casos de homonímia em substantivos comuns como em seção, sessão e cessão, mas em substantivos próprios há uma infinidade de homônimos que, por sua vez, são designados como perfeitos por terem grafia e som iguais: João e João e João. Perguntam sempre se um nome próprio possui significado, eu afirmo que seu significado é parco e não é dado de antemão como no dicionário, mas o seu significado surge a partir do momento em que a história engendrada por quem ou por aquilo que o detém principia por aparecer e nos ofecerer as primeiras pistas de sentido. Um substantivo comum terra nos remete ao solo, à hortaliça, ao que pisamos, um substantivo próprio João terá significado, porém, a partir do momento em que João nos der suas informações biográficas: temperamento, aparência e muitos outros atributos. Poder-se-ia dizer que um nome próprio pode ir do vazio da significação até a polissemia.


João Cabral Homenagem, Foto de Flickr por marcusrg
Sobre este assunto versa o poeta João Cabral de Melo Neto no trecho inicial de Morte e Vida Severina. Aqui como há muitos Severinos o sujeito poético orienta o leitor acerca da significação deste Severino em questão. É também um indicativo acerca do possível surgimento dos sobrenomes. Ora, a significação de seu nome e a construção de seus sobrenomes depende de sua biografia, degustemos a interessante história:




O meu nome é Severino,
como não tenho outro de pia.
Como há muitos Severinos,
que é santo de romaria,
deram então de me chamar
Severino de Maria
como há muitos Severinos
com mães chamadas Maria,
fiquei sendo o da Maria
do finado Zacarias.
  
Mais isso ainda diz pouco:
há muitos na freguesia,
por causa de um coronel
que se chamou Zacarias
e que foi o mais antigo
senhor desta sesmaria.   
Como então dizer quem falo
ora a Vossas Senhorias?
Vejamos: é o Severino
da Maria do Zacarias,
lá da serra da Costela,
limites da Paraíba.   
Mas isso ainda diz pouco:
se ao menos mais cinco havia
com nome de Severino
filhos de tantas Marias
mulheres de outros tantos,
já finados, Zacarias,
vivendo na mesma serra
magra e ossuda em que eu vivia.   
Somos muitos Severinos
iguais em tudo na vida:
na mesma cabeça grande
que a custo é que se equilibra,
no mesmo ventre crescido
sobre as mesmas pernas finas
e iguais também porque o sangue,
que usamos tem pouca tinta.   
E se somos Severinos
iguais em tudo na vida,
morremos de morte igual,
mesma morte severina:
que é a morte de que se morre
de velhice antes dos trinta,
de emboscada antes dos vinte
de fome um pouco por dia
(de fraqueza e de doença
é que a morte severina
ataca em qualquer idade,
e até gente não nascida).   
Somos muitos Severinos
iguais em tudo e na sina:
a de abrandar estas pedras
suando-se muito em cima,
a de tentar despertar
terra sempre mais extinta,   
a de querer arrancar
alguns roçado da cinza.
Mas, para que me conheçam
melhor Vossas Senhorias
e melhor possam seguir
a história de minha vida,
passo a ser o Severino
que em vossa presença emigra.  

By e³°°°
Em relação aos substantivos comuns importa afirmar que se trata de um nome que carrega em si primordialmente uma ideia.  Por exemplo, a ideia de cão é extensiva a todos os canis lupus familiaris. Portanto, um substantivo comum é uma extensão comum de um nome a todos os seres ou coisas pertencentes a uma classe que, por sua vez, são previamente identificadas por uma ideia. Assim, cão é um  animal mamífero que late e que morde, domesticável por humanos e que possui ainda uma série de outros atributos marcantes que o fazem ser visto por nós como um cão: essa ideia engloba muita coisa, essa ideia representada pelo nome serve para designar todos os animais com essas características, todos os cães do mundo, popularmente conhecidos como cachorros.  A mesma coisa ocorre com gato, felis silvestris catus, esse nome é válido para todas as raças de gato. No entanto, o cão do vizinho do lado esquerdo se chama Ted e o gato da vizinha do lado direito se chama Pompilio. Assim, o nome próprio a eles dado particulariza o cão e particulariza o gato, mas para um estranho que não mora por aqui eles não passam comumente de um cão e de um gato.


By Ardvindgrover from Flickr
Feitas essas considerações, ponderemos: qual a diferença entre Terra e terra? Qual a diferença entre Chapeuzinho Vermelho e chapeuzinho vermelho? Um planeta é um nome comum dado a todo corpo celeste não emissor de luz que gira em torno de uma estrela e que possui massa relevante e formato comumente arredondado. Cientististas nos dias de hoje têm descoberto muitos planetas fora de nosso sistema solar com nomes próprios estranhíssimos como o CoRoT-9b. Terra é o nome próprio dado ao planeta que habitamos. Pergunto? O nome próprio Terra tem significado? Naturalmente. E isso rechaça e refuta a tese de que um nome próprio não pode ter significado. Já terra é o nome comum dado àquilo que predominantemente constitui o solo dos continentes, deu motivações para que o nome de nosso planeta fosse um homônimo, mas a Terra nome próprio é constituída de terra e água, assim a história de um nome próprio possui estreita ligação com o externo, com os atributos daquilo que é nome, e em um dado tempo histórico em que a humanidade ainda não conhecia de todo o seu próprio planeta. Na segunda indagação, Chapeuzinho Vermelho é o nome da menina e o nome próprio de uma história, já chapeuzinho vermelho é o artefato que se coloca na cabeça e que tem a cor vermelha, muitos alunos e estudantes quase nunca sabem responder essa pergunta, e isso é natural porque Chapeuzinho Vermelho se tornou tão autônoma e real que o respectivo nome comum tornou-se invisível a uma percepção de momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário