3 de abril de 2011

Artigos: definidos e indefinidos

Os artigos são palavras que se antepõem aos substantivos, definindo-os ou os indefinindo. Os definidos são: o, a, os, as. Os indefinidos: um, uma, uns, umas. O substantivo não tem obrigatoriamente que portar um artigo: carro, motocicleta, caminhão. Podem vir sem artigo, isso ocorre com frequência quando iniciamos uma fala ou um assunto. Agora, se antepusermos os definidos, ficarão assim: o carro, a motocicleta, o caminhão. Sempre, entretanto, haverá a concordância nominal dos artigos com os substantivos que o comandam, assim, se tivermos plural, ficará assim: os carros, as motocicletas, os caminhões. Os artigos, assim como os adjetivos, são determinantes dos substantivos, por isso os acompanham em gênero e número. Caso utilizemos os indefinidos, ficarão assim: um carro, uma motocicleta, um caminhão. Plural: uns carros, umas motocicletas, uns caminhões.

A ideia de definido e indefinido acontece da seguinte maneira: quando os interlocutores sabem especificamente sobre o substantivo de que falam, definem-o. Exemplo: eu comprei o carro daquele anúncio. Nesse caso, os interlocutores sabem qual carro é, vez que falam sobre um anúncio que conhecem mutuamente. Por outro lado, quando há uma indefinição, por se tratar de um "qualquer" dentre tantos de uma mesma espécie, usam-se os indefinidos. Exemplo: Saí ontem para comprar um carro. Nesse caso, os interlocutores não sabem exatamente de que carro se trata nem se o declarante o havia comprado ou não. O artigo indefinido nos traz uma indefinição acerca daquilo de que falamos, mas conforme o desenvolvimento do discurso isso pode se esclarecer. Com o desenrolar do tema, aos poucos, os artigos definidos podem aparecer, já que na retomada o assunto vai se definindo.

Portanto, no discurso, os artigos definidos costumam aparecer na retomada de uma ideia ou de um substantivo já mencionado, funcionando como elemento de coesão; os indefinidos, por seu turno, geralmente oferecem ao leitor uma informação ainda não consolidada, mas que posteriormente com o desenvolvimento textual pode se consolidar com um artigo definido encabeçando uma explicação.

Na música Corcovado de Tom Jobim, temos, de início, artigos indefinidos em um cantinho, um violão e uma canção. Não se trata, portanto, de um cantinho específico ou de um violão específico ou de uma canção específica, mas todas essas citações são indefinidas, existentes e sugestivas. No prosseguimento da letra temos: o Corcovado e o Redentor. Isso já é definido, pois não se trata de um Corcovado qualquer ou de um Redentor qualquer, trata-se de entidades específicas, por isso o artigo definido que os antecede. Acompanhe:

User:Luisx0490
from Commons
Corcovado - Tom Jobim

Um cantinho e um violão
Este amor, uma canção
Pra fazer feliz a quem se ama
Muita calma pra pensar
E ter tempo pra sonhar
Da janela vê-se o Corcovado
O Redentor que lindo
Quero a vida sempre assim com você perto de mim
Até o apagar da velha chama
E eu que era triste
Descrente deste mundo
Ao encontrar você eu conheci
O que é felicidade meu amor
O que é felicidade, o que é felicidade



Nenhum comentário:

Postar um comentário